PARAPSICOLOGIA COMO TERAPIA

A Parapsicologia entre suas inúmeras possibilidades, conta com seu uso como terapia, e está fundamentada nos seguintes atributos da mente humana.

a) O subconsciente, como Robô Invisível e automático tem como tarefa fundamental fazer que a vida aconteça, e para que faça sentido, a sobrevivência é a ordem mais importante. A neurociência informa que a função primordial do cérebro humano é a sobrevivência, todas as funções do corpo físico apontam nessa direção. Num momento crítico, sempre que a sobrevivência esteja em perigo, o robô invisível vai agir, nem que seja na direção contraria aos desejos do indivíduo, pois “sempre é mais importante sobreviver de que ser feliz”.

b) Qualquer ameaça a sobrevivência, gera uma ação de proteção por parte da função mental subconsciente, que busca afastar o ser do perigo, trazendo como resultado as emoções de medo, raiva, tristeza etc.; e quando afastar o perigo não for possível parte para o ataque físico ou verbal. As emoções desagradáveis assustam e aborrecem, elevam as ondas cerebrais facilitando as reações automáticas do subconsciente. No sentido contrário, tudo que signifique proteção atrai o indivíduo com as emoções correspondentes (alegria, conforto, bem-estar e prazer). As emoções agradáveis, atraem e entusiasmam, baixando as ondas cerebrais e permitindo agir mais racionalmente. Assim, fica comprovado que quem conduz a vida não é a função mental consciente, e sim a função mental subconsciente.

c) Se é a função mental subconsciente quem direciona e atrai os fatos da vida, a mudança somente pode acontecer quando a terapia for direcionada ao conhecimento e reprogramação da função mental subconsciente, o que entendemos como compreensão, que traz como consequência a coerência mental, momento em que o consciente e o subconsciente apontam na mesma direção, com o resultado inevitável.

d) Os eventos que acontecem na vida do indivíduo, na maior parte deles são atraídos pelas suas programações subconscientes. Grisa informa que: O SUBCONSCIENTE MOVE A REALIDADE, produz resultados, atrai as oportunidades, conduz os acontecimentos, comanda o espetáculo da vida. Nada acontece na vida do indivíduo sem antes ter sido programado em seu Subconsciente. Todo ser humano pode ser dono de seu destino, comandante de sua vida, programador de seu futuro, se souber dirigir, programar e comandar efetivamente o seu Subconsciente. Mas será vítima de um aparente destino fatalista se deixar o Subconsciente -programado aleatoriamente pelos acontecimentos do mundo e de sua existência – dirigir-lhe a vida. (Grisa, 2000, p. 39)

e) As programações atrapalhadas que afastam o indivíduo de seus objetivos de vida, são as causantes dos desconfortos na vida prática, e obedecem ao grau de assertividade??? com as Leis Cósmicas.

f) Cada ameaça gera um programa de proteção que passa a funcionar de forma robótica, e o registro dele está na emoção sentida no momento da ameaça. Essa emoção torna-se depois  o gatilho que gera novamente a resposta automática do subconsciente mais ou menos atrapalhada de acordo com os objetivos de vida. O subconsciente grava todos os registros traumáticos no tempo presente, pois ele não conhece passado. As ameaças continuam presentes a vida toda, ou até que acontece a reprogramação pela compreensão. O gatilho é a emoção ameaçadora, e somente pode ser superada colocando naquele evento, de forma subconsciente, uma emoção maior, a compreensão. Que traz como resultado a coerência emocional. Esses gatilhos podem ainda ser reforçados por situações análogas acontecidas ao longo da vida. Por isso em terapia se busca qual é o momento em que pela primeira vez sentiu a emoção em análise, ou qual foi a que teve maior intensidade emocional. Compreendendo que a mente subconsciente apenas opera no tempo presente, sabemos que as emoções que insistem em manter a história se repetindo sempre, devem ser analisadas e tratadas para poder continuar no caminho desejado. Segundo Grisa: A compreensão. Realizada nos domínios do Consciente, organiza automaticamente as programações correspondentes, no Subconsciente. Organizadas e reestruturadas as programações dentro de um novo programa ou sistema, produzem novas e distintas reações, alterando o rumo dos fatos e acontecimentos na vida do indivíduo. (Grisa, 2000, p. 45) E Grisa continua: - Enquanto não entendemos uma situação, somos vítimas dela. Quando a compreendemos, podemos passar a exercer controle sobre ela, até sermos donos da situação, efetivamente.  [...]Cabe aqui lembrar tão-somente que saber a causa não é resolver o problema e muito menos atingir sua plena compreensão. Compreender o problema, ou ver o fato traumático sob outro ponto de vista, conduz o subconsciente a reorganizar as programações dentro de um novo sistema. Como resultado, temos a organização das programações do Subconsciente, a harmonização, o equilíbrio, a terapia, enfim.

g) As Programações Hereditárias constituem uma parte muito importante da vida do indivíduo, com profundo impacto nos comportamentos. Como seres humanos fica claro que vamos ter fisionomia, comportamentos, trejeitos, atitudes e respostas próprias da nossa espécie humana. E os diferentes grupos étnicos da raça humana possuem características diferenciadas, de tal forma que percebemos claramente que embora cada ser é único, traz informações muito importantes a respeito das vidas dos seus ancestrais. A medicina informa que cada uma das nossas células possui informações sobre sete gerações de ancestrais. Reflita e veja que isso envolve uma grande quantidade de programações individuais, que mais ou menos organizadas em algum momento podem se manifestar no corpo físico ou psíquico. Pessoalmente acredito que nosso DNA possui ainda muitas mais informações sobre inúmeras gerações que nos precederam. No instante da concepção, na loteria genética adquirimos de nossos pais e ancestrais características físicas e emocionais relacionadas com as experiências de cada um deles. A informação nunca se perde, e pode de forma espontânea se tornar aparente. Tudo o que foi guardado com  profunda emoção, ocultado ou que tem necessidade de ser reparado em algum momento pode se manifestar na vida factual. Estas programações podem permanecer latentes numa ou duas gerações, e voltam a se manifestar na seguinte. Ex: a avó sentia-se violentada nas relações sexuais, a mãe tem uma vida sexual normal, mas a filha vivencia violência sexual. h) No instante em que o ovulo é fecundado pelo espermatozoide, começa uma aventura cósmica que nunca mais será repetida com essas características: um ser humano, ser único, muito preparado para a sobrevivência pelo fato de contar já neste momento com a mente subconsciente; que a partir deste instante, está atenta as ameaças que coloquem em perigo a sobrevivência. Desta forma as experiências da vida intrauterina constituem a primeira e a maior das programações individuais. Pelo fato de que o subconsciente está ativo e vigilante já no instante da concepção, tudo o que a mãe sente, pensa, vivência ou imagina torna-se realidade para o feto, o qual ainda não dispõe da função racional que o permitiria fazer suas escolhas; o subconsciente do feto transforma todas as ameaças em realidade. O drama da vida, com seus infinitos lances se manifesta com força maior nesses nove meses, e influencia toda a vida do ser em formação. A lei que rege as programações da vida diz que o momento mais importante e que fica marcado com força de lei indelével, se localiza na vida intrauterina e na infância. Visto que esta é a primeira etapa da vida onde todos os acontecimentos ficam registrados em seu arquivo de memória: o subconsciente.

I) Como consequência das programações de vida intra-uterina, é possível perceber características padronizadas que se manifestam na vida de cada indivíduo. A mãe transfere para o filho imagens, trejeitos, mapas mentais, forma de agir, crenças, sistemas de controle, paradigmas e tendências de comportamentos. - imagem negativa ou positiva de homem/ ou de mulher. - imagem negativa ou positiva de pai/ ou de mãe; de família; de casamento; de filho e da vida em geral. E o subconsciente, para proteger a vida executa essas informações trazendo para a vida factual as consequências de sua proteção. Ex: uma mãe com uma imagem negativa de filho, pode fazer com que ele como adulto permaneça solteiro evitando o casamento e filhos, seja estéril, faça inúmeros abortos espontâneos ou provocados, ou seja homossexual. i) A mais importante de todas as programações da vida intrauterina é a rejeição a maternidade e a filhos. Cabe aqui fazer uma reflexão: a mãe procede de acordo com sua percepção do mundo exterior e interior; uma mãe assustada com a nova vida que chega, com imagem negativa de família e de filhos, quem sabe solteira, com uma vida difícil, com dificuldades para a sobrevivência (ambiente hostil, doença, falta de apoio ou de sustento financeiro), nunca vá a sentir-se segura, e isso passa 16 para o feto em formação, que adquire a característica comportamental de ser inseguro, candidato a depressivo.

Referências bibliográficas: GRISA, Pedro A. O Jogo e a Estrutura das Personalidades. 5. ed. Florianópolis: Edipappi. 2000.

Gostou do texto? Marque já sua consulta com um dos nossos Associados, lembre que somente os Parapsicólogos Clínicos formados pelo Sistema Grisa possuem esta forma holística e sistêmica de entender o funcionamento da mente humana.

2020 ABPSIG - Associação Brasileira de Parapsicólogos do Sistema Grisa

Alameda Dr. Muricy, 390 - 1202 - Centro, Curitiba - PR, 80010-120 - Fone 047 988553723

E-mail:  abpsig2020@gmail.com